domingo, 3 de outubro de 2010

Eu queria entender...

porque algumas pessoas fogem dos bancos reservados?

DECRETO N°17.261, DE 09 DE ABRIL DE 1981
Diário Oficial do Município de São Paulo, 10 de abril de 1981

Dispõe sobre reserva de assento, em ônibus e trolebus, destinado ao uso preferencial de pessoas portadoras de deficiências físicas e dá outras providências.

EI N°10.012, DE 13 DEZEMBRO DE 1985
Diário Oficial do Município de São Paulo de 14 de dezembro de 1985

Dispõe sobre assentos reservados para uso por gestantes, mulheres portando bebês ou crianças de colo, idosos e deficientes físicos, nos veículos de transporte coletivo de passageiro.

Mário Covas, Prefeito do Município de São Paulo, usando das atribuições que lhe são conferidas por lei:

Faz saber que a Câmara Municipal, em sessão de 20 de novembro de 1985, decretou e eu promulgo a seguinte Lei:

Art. 1° Todos os veículos empregados nas linhas de transporte coletivo de passageiro, no Município de São Paulo, deverão ter os 4 (quatro) primeiros lugares sentados, da sua parte dianteira, reservado para uso por gestantes, mulheres portando bebês ou crianças de colo, idosos e deficientes físicos.

Art. 2° Tais lugares serão marcados com placa indicativa com os seguintes dizeres:

"Assento reservado para o uso de gestantes, mulheres portando bebês ou crianças de colo, idosos e deficientes físicos. Ausentes pessoas nessas condições, o uso é livre."

Art. 3° Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.




Se o banco tivesse lepra, vá lá, daria pra entender. Mas não tem!

Esses dias venho observando o comportamento das pessoas em transportes coletivos, no que concerne a esse assunto.
Notei que muitas vezes, mesmo não havendo pessoas nas condições que a lei ampara, o banco fica vazio. As pessoas meio que fogem deles (eu faço parte do grupo que acha que esses bancos tem lepra, prefiro ir de pé a sentar neles, mesmo quando não tem ninguém que necessite do uso... prefiro evitar a fadiga XD).
Mas também tenho notado que as pessoas que deveriam sentar neles, não o fazem. Isso me irrita profundamente, já que fica difícil de fazer valer o direito ao assento se não há utilização... depois reclama...
Há também os casos frequentes em que as pessoas se sentam e não se levantam de forma alguma!!! Fingem que estão dormindo, lendo livros, revista, jornal... e nem aí pra quem precisa.

Então me questiono: É realmente viável o lugar reservado, já que muitas vezes ele fica vazio e as pessoas que são beneficiadas não o utilizam?
As vezes acho que seria o caso de todos os assentos serem reservados!!! Assim, sempre que entrasse uma pessoa que necessitasse a outra deveria obrigatoriamente levantar!!!
Quem sabe isso daria certo, não!?


Nenhum comentário: