quinta-feira, 16 de junho de 2011

E quem nunca passou por uma...



situação vexatória?

Eu já passei por várias!

Tem as clássicas do tipo dar tchau feito um idiota pra alguém na rua pensando que é um amigo e não fim das contas não é ou aquela musiquinha fatídica depois de cantar Parabéns a Você.

E tem as realmente cabeludas, aquelas em que você está desabafando sobre uma determinada pessoa e a infeliz brota da terra ao seu lado.

Pensando nisso, aqui vão algumas dicas incríveis para sua cutis não queimar em algumas ocasiões. Pega na minha mão e vem comigo!

Caso 1: O Parabéns a Você já foi cantado, o infeliz do aniversariante ja apagou a dorga da velinha e a luz continua apagada. Você gentilmente acende o líquido espermatico da luz e a família do referido futuro idoso, te olha como se você fosse um monstro que estraga a alegria alheia.

O que fazer?: Retribua o mesmo olhar acusador com um toque de indignação.

Se não funcionar?: Apague novamente a luz e saia de fininho.

Caso 2: Você está caminhando serelepemente na rua e ao passar do lado de um orelhão, de alguma forma inexplicável (nesse momento aceito a teoria de conspiração do universo) você bate o cabeção no dito cujo (mesmo porque eles tem uma cor tão sóbria e discreta, né!?)

O que fazer?: Faça o orelhão de Pole Dance!

Se não funcionar?: Finja que desmaiou com a pancada e depois levante com cara de atordoado.

Caso 3: Você vê uma pessoa de costas e acha que é um amigo(a) seu e faz aquela brincadeira fofucha de colocar as mãos sobre os olhos da pessoa e diz: "Adivinha quem éééé!?". Aí se dá conta que não conhece o indivíduo.

O que fazer?: Se apresente e diga que está carente, quer um abraço e R$ 1,00 pra inteirar a passagem de busão.

Se não funcionar?: Peça desculpas animalzinho de tetas (sim, somos mamíferos e temos tetas, uns mais, outros menos...) e só faça isso denovo se tiver certeza, capice?

Caso 4: Você resolveu falar mal de alguém sem olhar a quem e a pessoa aparece ao seu lado.

O que fazer?: Imite o Chavez quando se assusta e fique paralizado até alguém jogar água na sua cara de pau.

Se não funcionar?: Negue até a morte!

Caso 5: Você tá dando aquele amasso louco e de repente vem aquela vontade louca e gasosa, querendo sair por cima ou por baixo e não dá pra segurar e... foi.

O que fazer?: Pergunte: "Adivinha o que comi?".

Se não funcionar?: Cafungue todo o odor e sorria. Afinal é tudo seu!

Caso 6: Você está conversando com alguém e surge uma vontade louca de soltar um flatus (situação diferente da anterior, uma vez que não há contato físico e nem possíveis troca de fluídos corporais), a cólica é cruel e você começa a suar e como acha que não vai fazer barulho, inocente você deixa o gás vazar e ele vem acompanhado de um som assoviado ou parecido com estouro de escapamento ou metralhadora...

O que fazer?: Cante com a melodia!

Se não funcionar?: Pergunte onde fica o banheiro mais próximo.

Caso 7: Depois do Parabéns a Você, um filho da mulher que trabalha na zona do baixo meretrício, puxa aquela música daquele que é acometido de traição: "Com quem será, com quem seráááá, que Fulana vai casaaaaaar..." (infeliz quem inventou isso).

O que fazer?: Sorrir e dar um jeito de projetar saliva discretamente no bolo dessa pessoa gentil e entregar em mãos. Após a primeira garfada perguntar, inocentemente, se o bolo é bom.

Se não funcionar?: Insista. A ideia é muito boa para ser descartada na primeira dificuldade.

Com essas dicas infalíveis é garantido o seu sucesso em situações que possam vir a te envergonhar!

Ps1: Tenhos os leitores mais lindos e marketeiros que existe! Obrigado pela divulgação. A Alinelandia está em festa.

Ps2: Caso tenha alguma pergunta, dúvida, olho de peixe e afins, encaminhe um e-mail para donabursa@gmail.com. Sua pergunta será docemente respondida e publicada no front ;)

Ps3: Até a próxima!

Direto da Alinelandia!

2 comentários:

Helaine disse...

HAHAHAHA me diverti horrores!!! =D

Melissa's disse...

uahsuahsauhsuah

Nossa você é má.Continue assim!
Amei a dica do caso 7!Odeio aquele maldito coro!

Te desejo o melhor!
Bjs
Mel