quinta-feira, 30 de junho de 2011

Vamos falar de...

amizade.


ATENÇÃO POST ALTAMENTE DOCE, RISCO DE AUMENTO DA TAXA GLICÊMICA

Estava eu lendo, dia desses, meu site preferido sobre moda, beauté e total descontrole,  Fashion Descontrol , e li um artigo que a Débora (Sta. Cher abençoa) fez sobre uma base da Dior que ela ganhou da Lelê (olha intimidade XD).

Ok, não é todo dia que uma amiga te dá um presente ta phyno e cheio de glamour!

Quem, eu seu estado de sã consciência não quer uma Letícia na sua vida? TODAS QUER! (Lelê, ainda aceito bala 7 Belo e tubaína de presente de aniversário, tá!?).

Então parei pra pensar e vi o quanto sou afortunada, porque eu tenho muitas Letícias na minha vida!

Tenho Priscilas, que enquanto não fiz a matrícula da facul não sossegou e até me emprestou as dilmas pra fazer a matrícula. E que tem uma paciência que eu tô longe de ter.

Tenho as Danielas com suas terapias de 2min que acabam com volume abdominal extra que minha mente sempre implanta. E sempre que pode me deixa na porta de casa, com suas caronas super construtivas.

Tenho as Veronicas que as vezes são ranzinzas, as vezes doce, que vai me enloquecer um dia ainda, mas tem um coração enorme.

Tenho as Marcias que é inspiradora e amiga de todos os momentos.

Tenho os Diegos o melhor amigo do mundo. Que conversa com o olhar, com coração.

Tenho as Tamires com sua doçura e responsabilidade, apesar da pouca idade.

Tenho as Giseles que é como irmã.

Tenho as Fernandas que contribuem com meu vício por esmaltes e sempre me acompanha nos passeios mais inusitados se divertindo com minha pessoa ímpar. (Zente ela se lembrou da minha pessoa em suas férias. Ela só tava em Cancún)

Tenho Marcos, o melhor companheiro de filmes ruins de todos os universos possíveis e companheiro paciente de todos momentos. Único.

Tenho Robertas, Renatas, Brunas, Kamilas, Léias, Cristianes, Clovisês, Daniels,  Damaris, Rafaels, Cintias, Fernandos, Marias Paulas, Julianas, Kelis, Rosas, Dayanes, Melissas (e sua coelha maluca comedora de fios), as Jaquelines, Mamis e Thatas.

E tantas outras que contribuíram de alguma maneira para que eu seja como sou hoje.

Não se culpem, sou feliz do jeitinho que sou.

E só posso agradecer a cada um por tudo que me ensinaram direta ou indiretamente.

Afinal, sou um pouquinho de todos que já passaram em minha vida.

Sou uma Freakstein ;)




Ps: É muito carinho nesse post!

Ps2: Aos meus leitores, que são os mais léndos desse Brasél, meu muito obrigado! Vocês são incríveis! Obrigado pelo carinho e pelo incentivo!

Ps3: Se houver algum erro de grafia, não reparem, postar do celular dá um trabalho...

Ps4: Os nomes estão no plural propositalmente.

Direto da Alinelandia!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

De onde vem...



os Smurfs?

Pra que você entenda a minha pergunta, vou explicar o que aconteceu.

Domingo fui ao shopping com meu namorado e entramos em uma loja de brinquedos (tem duas coisas que amo em shoppings: lojas de brinquedos e livrarias). Não sei vocês, mas todos os brinquedos que tem buraco na caixa pra testar, lá estou eu com o dedão cutucando. Pois bem, eu encontrei uma casinha de Smurfs, aquele cogumelo com um moinho, e tava lá bem feliz testando, quando resolvi abrir minha boca pra dizer que aquele era o melhor brinquedo! Ele disse que não. Eu insisti e disse que era por causa dos Smurfs. E ele disse que não era não e acrescentou: "Os Smurfs são hermafroditas e a Smurfet é transsexual!".

Oi!?

Ok! Aquilo tava longe de ser o melhor brinquedo, mas macular minha infância foi uma crueldade desmedida!

Depois de passada toda a comoção, já que o infeliz tinha acabado com a minha infância, parei pra pensar: "De onde vem os Smurfs?".

Caso não tenham notado, não existe MAMÃE Smurf, só PAPAI Smurf.

A única fêmea é a Smurfet.

Assim sendo:

1- A Smurfet é a mãe de todos, tomou banho na fonte da juventude e não deixou nada pro Gargamel, por isso ele quer tanto destruir os Smurfs.

2- A Mamãe Smurf era uma cruza de Noturno (X Men) com coelhos, que deu a luz a todos os Smurfs de uma vez e pra não amamentar toda a vila, se teleportou para outra dimensão, onde é vendedora de cachorro quente em porta de universidade.

3- Eles são como as minhocas e se reproduzem sozinhos (Pare de se auto bolinar Papai Smurf!).

4- Se reproduzem através de esporos. Bate um ventinho ou uma chuvinha e olha lá eles se multiplicando.

5- Por brotamento (como meu namorado docemente explicou). Cai um braço do Smurf e ali, brota uma cabeça que vai se desenvolvendo a ponto de criar outro! Se o Smurf tiver lepra, segundo meu doce companheiro, ele está no cio (oi!?)!

6- Bipartição. Eles comem tanto e quando você pensa que ele vai explodir... pluft, outro Smurf!

Numa suposta escala evolutiva, onde estariam os Smurfs?

Seriam eles descendentes de alguma alga cianofícia? Seriam eles, seres medusóides que durante a evolução saíram do mar e iniciaram uma revolução na música mundial (acho que essa é a Lady Gaga)? Vou mais longe ainda. Seriam eles, seres de outro mundo que querem nos dominar?

Enquanto não descobrirmos como se dá sua reprodução, jamais saberemos!

Ps: Pronto, dividi com vocês minha agônia.

Ps2: Obrigado Marcos, por acabar com a minha infância!!!

Ps3: Os Smurfs são criaturinhas inocentes, sem libido e felizes!

Ps4: Pô Marcos, tinha que falar dos Smurfs???

Direto da Alinelandia!

quinta-feira, 16 de junho de 2011

E quem nunca passou por uma...



situação vexatória?

Eu já passei por várias!

Tem as clássicas do tipo dar tchau feito um idiota pra alguém na rua pensando que é um amigo e não fim das contas não é ou aquela musiquinha fatídica depois de cantar Parabéns a Você.

E tem as realmente cabeludas, aquelas em que você está desabafando sobre uma determinada pessoa e a infeliz brota da terra ao seu lado.

Pensando nisso, aqui vão algumas dicas incríveis para sua cutis não queimar em algumas ocasiões. Pega na minha mão e vem comigo!

Caso 1: O Parabéns a Você já foi cantado, o infeliz do aniversariante ja apagou a dorga da velinha e a luz continua apagada. Você gentilmente acende o líquido espermatico da luz e a família do referido futuro idoso, te olha como se você fosse um monstro que estraga a alegria alheia.

O que fazer?: Retribua o mesmo olhar acusador com um toque de indignação.

Se não funcionar?: Apague novamente a luz e saia de fininho.

Caso 2: Você está caminhando serelepemente na rua e ao passar do lado de um orelhão, de alguma forma inexplicável (nesse momento aceito a teoria de conspiração do universo) você bate o cabeção no dito cujo (mesmo porque eles tem uma cor tão sóbria e discreta, né!?)

O que fazer?: Faça o orelhão de Pole Dance!

Se não funcionar?: Finja que desmaiou com a pancada e depois levante com cara de atordoado.

Caso 3: Você vê uma pessoa de costas e acha que é um amigo(a) seu e faz aquela brincadeira fofucha de colocar as mãos sobre os olhos da pessoa e diz: "Adivinha quem éééé!?". Aí se dá conta que não conhece o indivíduo.

O que fazer?: Se apresente e diga que está carente, quer um abraço e R$ 1,00 pra inteirar a passagem de busão.

Se não funcionar?: Peça desculpas animalzinho de tetas (sim, somos mamíferos e temos tetas, uns mais, outros menos...) e só faça isso denovo se tiver certeza, capice?

Caso 4: Você resolveu falar mal de alguém sem olhar a quem e a pessoa aparece ao seu lado.

O que fazer?: Imite o Chavez quando se assusta e fique paralizado até alguém jogar água na sua cara de pau.

Se não funcionar?: Negue até a morte!

Caso 5: Você tá dando aquele amasso louco e de repente vem aquela vontade louca e gasosa, querendo sair por cima ou por baixo e não dá pra segurar e... foi.

O que fazer?: Pergunte: "Adivinha o que comi?".

Se não funcionar?: Cafungue todo o odor e sorria. Afinal é tudo seu!

Caso 6: Você está conversando com alguém e surge uma vontade louca de soltar um flatus (situação diferente da anterior, uma vez que não há contato físico e nem possíveis troca de fluídos corporais), a cólica é cruel e você começa a suar e como acha que não vai fazer barulho, inocente você deixa o gás vazar e ele vem acompanhado de um som assoviado ou parecido com estouro de escapamento ou metralhadora...

O que fazer?: Cante com a melodia!

Se não funcionar?: Pergunte onde fica o banheiro mais próximo.

Caso 7: Depois do Parabéns a Você, um filho da mulher que trabalha na zona do baixo meretrício, puxa aquela música daquele que é acometido de traição: "Com quem será, com quem seráááá, que Fulana vai casaaaaaar..." (infeliz quem inventou isso).

O que fazer?: Sorrir e dar um jeito de projetar saliva discretamente no bolo dessa pessoa gentil e entregar em mãos. Após a primeira garfada perguntar, inocentemente, se o bolo é bom.

Se não funcionar?: Insista. A ideia é muito boa para ser descartada na primeira dificuldade.

Com essas dicas infalíveis é garantido o seu sucesso em situações que possam vir a te envergonhar!

Ps1: Tenhos os leitores mais lindos e marketeiros que existe! Obrigado pela divulgação. A Alinelandia está em festa.

Ps2: Caso tenha alguma pergunta, dúvida, olho de peixe e afins, encaminhe um e-mail para donabursa@gmail.com. Sua pergunta será docemente respondida e publicada no front ;)

Ps3: Até a próxima!

Direto da Alinelandia!

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Com tanta tecnologia...


nos tornamos autistas por opção.

Quantas vezes você já não deixou de fazer algo pra ficar jogando no líquido oriundo da ejaculação masculina (porque saíram com uma que mulher também ejacula, mas há controvérsia) do seu computador? Ou simplesmente ficar fazendo nada na internê?

Agora me diz, quantos amigos você tem nas redes sociais?

Ou melhor, quantos perfis fakes você tem?

Ok.

Você deve estar pensando: "Ela vai filosofar, mulher do baixo meretrício que deu a luz! Penis ereto! Mereço viu!"

Pois bem minha zente, vou mesmo!

Eeeeeeeeeeeee Macarena!

Enfim...

Com esse mundo de informações e possibilidades, a grande rede mundial, por vezes faz com que nos afastemos das pessoas e nos fechemos em nosso próprio mundinho feliz.

Quantos garotos não se auto bulinam pensando em Lara Croft? Para quantos esse é o contato máximo que chegou com uma mulher?

As pessoas de hoje, tem receio de se relacionar com outras que não sejam de seu convívio habitual (familiares, colegas de trabalho, amiguinhos da escola).

Alguns inventam novos "Eus" para se relacionar via web.

Seria isso fruto de uma sociedade cada vez mais cheia de padrões rígidos ou safadeza oculta?

Sim, porque essa mesma sociedade que se diz aberta as mudanças é a primeira a apontar o dedo e criticar.

E com esse autismo optativo, cada vez mais nos afastamos do outro e deixamos de conhecer pessoas incríveis por vivermos em nosso mundinho.

Ou quando resolvemos sair, muitas vezes embarcamos em relacionamentos superficiais para aplacar a solidão.

Não vou dizer que não tenho momentos ultra divertidos na Alinelandia, mas consigo sair de lá quando quero... outras pessoas simplesmente preferem fugir pro seu pretty litle world.

Se não dermos um basta nisso, estaremos fadados a solidão eterna e  ficaremos como o Mun Há #medo

Mentira.

Mas que é preciso providências, disso não tenho dúvidas.

Tá esperando o quê?

Sai desse computador e vai jogar queimada na rua, bolinha de gude, jogar bexiga d'água.

O que for, só sai de frente do PC e vai viver! Mas volta semana que vem que tem mais do melhot dos dois mundo ;)

Viu como fui esperta, só coloquei no final do artigo HAHAHAHAHAHAHAHAHA

Ps1: Baixei um novo app pro meu celular, tô apanhando um pouco, mas acho que vai rolar um amor entre nós...

Ps2: A quantidade de acessos a Alinelandia duplicou e eu só tenho a agradecer aos meus leitores lindos que divulgam esse cantinho very crazy ;)

Ps3: Continuo firme no propósito de não escrever palavrões.

Ps4: Por hoje é só!

Direto da Alinelandia!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

E lá vem...

o dia dos namorados.

Eu namoro. Amém, glória a Deus, aleluia irmão! #oremos
Mas já passei muitos dias dos namorados sozinha, remoendo a solidão nesse meu coraçãozinho peludo, já outros nem tanto ;)

Porque convenhamos:
Passei o Natal sem o Papai Noel (grande velhinho esse Noel), dia do Índio sem o dito cujo, dia da árvore sem abraçar uma, por que cargas ďágua, tenho que ter um namorado pra passar esse dia??? Sem contar que, se fosse bom, seria feriado!!! (pronto falei)

Enfim...

Se você está sem namorado(a) e quer passar esse dia acompanhado(a), não se desespere, sijoga nas dicas da titia e arrase e se não der certo, divirta-se!

1- CIRCULE


(Capicce?)

Não pra fazer igual cachorro e ficar correndo atrás do rabo.
Saia, deixe as pessoas te conhecerem. Mostre-se disponível (mas nem tanto né!? Sabe comé!)
- Atenção: Escolha bem azamiga(o) que vai te acompanhar, não leve os mais bonitos, sacou?

2- SORRIA
Porque carranca, só aquelas de madeira pra espantar espírito agourento.


(definitivamente, esse sorriso não me atrai)

3- ARRUME-SE
(você se parece com a Jenn)


Esse negócio de que eu me arrumo pra mim e estou satisfeito(a) com meu estilo é mentira (tsc, tsc, que feioooo).
Sejamos francos, ninguém perdes horas na frente do espelho pra se arrumar pra si.
Passa uma maquiagi ahmiga! Penteia esse cabelo coléga! A gente qué vê gramu!
Porque de feia já basta minha conta bancária.


(ou com o Robert? Não? Então se arruma pô!)

4- ATIRE PARA TODOS OS LADOS
Mentira. Era só pra descontrair.

5- DEIXE SANTO ANTONIO EM PAZ
Para tudo agora que eu quero descer! Respira, respira... nada de desespero!
Santo Antonio é coisa de gente encalhada e desesperada. Deixa o santo quéto zente.
Essa coisa de colocar o santo de ponta cabeça no ármario, dentro de um balde cheio de água é coisa de gente sem alma e nem coração #oremos.
Aqui o negócio é só arrumar um affair pra orelhinha que está descoberta, certo? Levanta essa cabeça e vamos para o próximo...



6- SEJA VOCÊ MESMO
Quantas vezes já disse isso? Milhares né!? Mas não custa reforçar!
Por favor, não finja ser quem você não é! Por um tempo pode até funcionar, mas um dia a máscara pode cair.
Lembre-se: "Podemos mudar o que somos, mas não quem somos." (parece frase de banheiro né!?)



E se depois de todas essas dicas (isso é quase um manual da bem querencia minha zente) de programa de do lar (as famigeradas donas de casa) da tarde, não funcionar, seja feliz sozinho.
Porque no final das contas é isso o que realmente conta.

Beijinhos e até a próxima.

Ps1: Não me pergunte da dieta, ok!?
Ps2: Já desisti desse console faz tempo!
Ps3: Quero comunicá-los que os meus próximos posts serão realizados do meu smartphone uma vez que computador veio a óbito (espero que esteja no mais profundo inferno, infeliz, melequento!). Então vocês vão notar algumas diferenças na formatação e ausência de algumas cores.